Matéria: Bruna Nicolato. Fotos: Omar Freire/ Riccelli.

Na Semana Santa, o CEM partiu rumo ao Parque Estadual do Rio Preto. Situado em Minas Gerais, no Vale no Jequitinhonha, o Parque está localizado no município de São Gonçalo do Rio Preto, distante 70 Km de Diamantina.

Omar, Gresce, Gisa e Fred chegaram ao destino na quinta e fizeram a trilha das cachoeiras na sexta. Celsinho, Dagó, Talim, Débora, Riccelli, Bruna e Arthur chegaram na sexta.

Sábado fomos para as Corredeiras, passando pelo Poço de Areia e pela Cachoeirinha. Ao retornarmos, curtimos o Poço do Veado e um pôr-do-sol maravilhoso!

Poço de Areia.
Poço de Areia.
Corredeiras.
Corredeiras.
Dagó, Riccelli, Bruna, Celsinho e Gisa no Mirante do Poço do Veado.
Dagó, Riccelli, Bruna, Celsinho e Gisa no Mirante do Poço do Veado.
Pôr-do-Sol no Poço do Veado.
Pôr-do-Sol no Poço do Veado.

Domingo foi dia do grupo que chegou por último aproveitar as cachoeiras… a trilha é cansativa, principalmente a volta beira-rio, mas a maravilha da Cachoeira do Crioulo, da Cachoeira Sempre-Viva e da “plantação de pedras” superam qualquer desgaste físico.

Cachoeira do Crioulo.
Cachoeira do Crioulo.
Cachoeira Sempre-Viva.
Cachoeira Sempre-Viva.

O grupo que chegou antes aproveitou o Poço do Veado, explorou as pinturas rupestres do local e fez o Circuito do Cerrado. Talim e Débora também optaram por aproveitar o Poço e as lapas do entorno. O Poço recebe este nome em função de uma pintura rupestre de um veado em uma das paredes de pedra que o margeia.

Lapa do Veado.
Lapa do Veado.
Lapa do Tatu.
Lapa do Tatu.
Vau das Éguas - Trilha do Cerrado.
Vau das Éguas – Trilha do Cerrado.

Segunda, ao acordarmos, aproveitamos a prainha, e voltamos a BH pela Estrada Real. Almoçamos em São Gonçalo do Rio das Pedras, no Bar do Ademil, e paramos em Milho Verde e Serro para contemplar a vista da Serra do Espinhaço.

despedida - todos
Despedida do Parque.
Almoço em São Gonçalo do Rio das Pedras - MG.
Almoço em São Gonçalo do Rio das Pedras – MG.
Igrejinha de Milho Verde - MG
Igrejinha de Milho Verde – MG

À noite, fazíamos pranchetas etílicas e os causos do CEM eram contados e recontados em suas infinitas versões… inclusive os acontecidos na própria excursão… “sabe de nada, inocente”… rsrsrsrs… e conhecemos “nossos vizinhos”, Gabriela, Daniel, Bárbara e Eduardo.

Destaque para a infraestrutura do Parque, com excelente manutenção, desde os banheiros e quiosques, às pontes e aos corrimões ao longo das trilhas. Parabéns ao Tonhão, gerente do parque, pela dedicação diária a cada detalhe deste paraíso da humanidade.

Parque Estadual do Rio Preto – 17 a 21/04